Oh, Mãeee!

O MARTIM MORA EM DUAS CASAS!

Este é o titulo de um livro que para mim é muito especial… Especial por várias razões, a principal é pelo Martim, ele é meu primo-sobrinho, o menino mais doce que conheço, filho do meu primo direito – Tiago Vacas Felgueira – e da Patricia Fonseca, autora deste livro, que foi minha prima emprestada e é Psicóloga.

 

Outra razão especial é pelo conteúdo do livro, porque o Martim mora em duas casas e é filho de pais que se separaram. Eu também sou filha de pais separados e vivi de certa forma em

duas casas durante a minha adolescência. Outra razão, é porque este livro é super educativo, para pais e filhos, e passo a citar a Patricia Fonseca autora do livro: “É um livro que pretende ajudar as crianças a lidarem com algumas emoções recorrentes da separação conjugal. Aos pais, será um meio privilegiado de comunicar sobre o tema e adequar à realidade de cada família. Também pressupõe a aceitação da diferença. Todas as crianças e as famílias podem compreender que podemos ser felizes, apesar das diferenças familiares que nos rodeiam.”, posto isto, convido-vos a estar presente no lançamento do livro, que o comprem, o devorem e consigam tirar dele o melhor partido possível.

Hoje em dia a separação é tão normalizada, que por consequência o viver em duas casas é natural… mas apesar de toda a naturalidade é necessária alguma ginastica mental para correr tudo da melhor forma, forma esta a não prejudicar os filhos, muito pelo contrário, tendo sempre em conta uma comunicação saudável e positiva entre os pais.

Obrigada Patricia!

Datas de Apresentação:

  • 2 Setembro – 15:00 -Espaço Chiado na Feira do Livro do Porto 2017 (Jardins do Palácio de Cristal – Pav 57 e 58)
  • 9 Setembro – 14:30 – Chiado Editora | Café Literário na Galeria Comercial Tivoli Forum Lisboa
  • 9 Setembro – 18:00 – FNAC do C.C. de Oeiras
  • 16 Setembro – 16:00 – FNAC do Alegro de Alfragide
  • 29 Setembro – FNAC do C.C. Vasco da Gama

The author: seni

"Enquanto muitos viajam para fugir, ela viaja para se encontrar, é como se os lugares conhecessem partes da alma dela, partes que ela ainda não conhecia."

1 Comment

Leave a Reply