Desabafos

SERÁ QUE É ASSIM?

Dizem que antes de morrer uma pessoa tem que viver a sua vida em pleno, mas o que isto significa?Sempre ouvi falar do “estar 100% feliz e concretizada” e viver a vida na sua plenitude. Há alguns anos comecei a pesquisar sobre o tema e descobri que reza a “lenda” que para tal concretização é necessário cumprir três situações: plantar uma árvore, ter filhos e escrever um livro.

Nunca levei isso à letra até porque só o descobri há alguns anos, mas fiquei bem mais leve (se é assim que se pode dizer), ao saber que já cumpri estes três passos. Ora bem:

  • na primária, no dia mundial da árvore, plantei uma pequena semente que, com certeza, dali nasceu uma maravilhosa árvore. Assim sendo, já dei o meu belo contributo para a Natureza e confesso que respiro muito bem, obrigada;
  • em 2005 e em 2012 tive, respectivamente, as minhas duas princesas: Yasmin e Kyara. Concluo que também já contribuí para a humanidade e deixo o meu legado muitíssimo bem representado, por sinal;
  • em 2010/2011 escrevi e publiquei o meu livro (“As Outras Vítimas”). Escrevi-o como trabalho final do curso de Comunicação que fiz no Brasil e após terminar, decidimos publicá-lo em Portugal. É com muito orgulho que digo que este foi o primeiro livro escrito na minha faculdade (UNIFOR) e até hoje, está na biblioteca da mesma e recebo mensagens de alguns alunos de lá que o leram e pedem informações sobre como escrever um livro com conteúdo jornalístico.

Resumindo:  supostamente já vivi a vida plena e deveria ser super feliz e concretizada, mas… Não é bem assim. Não sinto a vida na sua plenitude, até porque a cada dia que passa, quero viver mais e descobrir mais e mais. E a felicidade? E a concretização? Há dias em que estou super feliz, mas noutros, devido à própria vida, é normal não estar, assim como em relação à concretização. Acho tudo muito relativo, na verdade, mas se a minha vida dependesse realmente disso, já estava safa.

Em relação à imagem que escolhi para ilustrar este texto, é muito certo, certíssimo até, e aí posso dizer que já falhei. Na criação das minhas filhas não, ou melhor, acredito que não, pois por mais que falhe em algumas coisas, dou o melhor de mim e tento passar o que há de melhor para elas. Nas pessoas que leram o meu livro, também acho que não falhei, já que a obra (ahahahah) teve duas edições, quase duas vá, porque a segunda vez que publicámos foi um presente. Mas a árvore, meus amigos… Estou frita com isto. Não faço a mínima ideia qual é ela e não me lembro onde está. Mas sei que a Mãe Natureza está grata e a chuva faz isso por mim, logo a minha árvore está bem e recomenda-se.

E pronto meus amores, e vocês? Já viveram a vossa vida em pleno?

The author: marta

" (...) tem aquele gosto doce de menina romântica e aquele gosto ácido de mulher moderna."
Leave a Reply