Oh, Mãeee!

COMO APRENDI A SER MÃE PELA PRIMEIRA VEZ!

Lembram-se, lembram-se?Muitos de vós devem estar a perguntar porque estarei eu, a minha nobre pessoa, a escrever sobre um brinquedo que foi lançado no século passado? Pois bem… Há pouco tempo, em amena cavaqueira com um grupo de amigos, estávamos a discutir (no bom sentido da palavra) algumas teorias sobre algumas entrevistas que temos visto sobre ser pai e ser mãe. Não querendo ser directa nem ferir susceptibilidades, não venho para aqui dar opiniões, nem falar sobre tais frases que li… Venho sim, expôr uma teoria que me fez a mim e aos meus amigos, passarmos um bom bocado!

Eu, quando era pequena sempre desejei ser mãe, mas como é óbvio não podia, principalmente porque os meus pais não me deixavam! (ahahahahahahah isto vai dar m****). Tive várias hipóteses de me sentir como tal, ou pelo menos perceber um pouco da responsabilidade que é ter alguém ou algo que depende de nós para comer, beber, dormir e brincar. Por esta razão, na minha carismática infância, eu tive cães, gatos, hamsters, iguanas, pássaros e duas macacas. Não dependiam só de mim, como é óbvio, mas eu participava activamente nas suas rotinas diárias e à noite certificava-me sempre que estavam a respirar. Um aparte: neste contexto não falo que tive peixes, porque infelizmente, nunca tive muita sorte com peixes (animais e signo).

Não colocando de parte qualquer sentimento de amor que eu tenha sentido por todos estes animais, meus queridos, aos 12 anos “fui” mãe sim senhor, venha quem vier contrariar, mas eu senti-me uma mummy daquelas mesmo top!!!Senti-me assim enquanto aquilo durou e passo a explicar…

Aos 12 anos de idade recebi o meu primeiro Tamagotchi… Ui que felicidade… Pus aquilo a funcionar e pimba… tinha ali uma criaturazinha virtual para alimentar, cuidar, etc, etc etc. Estava super entusiasmada e dei tudo de mim naquela relação. Foram três dias super intensos, cheios de amor, carinho, fofura, até que… Pufffff! O meu amor m-ó-r-r-é-ú!

Até hoje não sei o que fiz de errado, mas tenho a minha teoria e tudo passa pela mecânica da peça, mas… queria agradecer bastante e em nome de várias famílias, a alguém que não sei quem é, por ter inventado esta pequena coisa e me ter dado a oportunidade de ter usufruído do sentimento materno aos 12 anos. Foi realmente uma experiência fantástica e inesquecível (para mim, para o bichinho não, como é claro).

Quero agradecer também em relação ao novo lançamento do brinquedo em questão, que para quem não sabe, aconteceu este ano, mas vou ter que declinar o convite para voltar a tê-lo, porque neste momento tenho que tomar conta e amar muito duas criaturas não virtuais, que graças a Deus, não têm nenhum problema de mecânica. São perfeitas!!!

Muito obrigada e foi um gosto partilhar esta experiência!

The author: marta

" (...) tem aquele gosto doce de menina romântica e aquele gosto ácido de mulher moderna."

1 Comment

  • Ahahahah eu tive dois Tamagotchi. Um era original o outro era quadrado versão chinesa do brinquedo que por si só já é de lá. Os meus duraram mais de três dias mas a minha mãe teve de mos tirar pois eles, coitadinhos, sentiam fome durante as aulas e eu como boa mãe não esperava nem um minuto para os alimentar. Ai ai fiquei nostálgica… Belo post

Leave a Reply