Oh, Mãeee!

SOU MÃE SOLTEIRA E DAÍ?

E tu és o quê?

Adoro, só que não, a hipocrisia do mundo em que vivemos: as pessoas mostram sempre o melhor de si, fingem ser super correctas, mostram que têm a família perfeita, que são super felizes, que têm maridos super amorosos e blá blá blá. Quando vamos saber, a verdade é outra. Mas também não me interessa a “verdade” dos outros que não conheço ou não me dizem nada, mas sim a minha verdade e de quem me rodeia e conhece.

Desde que fui mãe e me separei a primeira vez, que muitas mentes maldosas e talvez até um pouco retrógradas, apontam-me o dedo e quase que me acusam (acusar no sentido negativo) de ser mãe… solteira! Em forma de esclarecimento, gostaria de dizer que não, eu não casei e tive filhas para ficar sozinha com elas, mas a vida assim fez com que acontecesse e como eu sou muito bem comportada, não respondi e aceitei! Também gostaria de dizer que não sou menos mãe por estar sozinha com elas e se, mesmo assim, quiserem “contabilizar” algo, tirem o cavalinho da chuva porque não há matemática nisto. Há quem possa considerar-me um pouco mais mãe por fazer o papel de dois pais em casa, mas também não é por aí, pois mesmo não estando em Portugal, os respectivos pais das minhas filhas continuam a ter um papel importante na vida delas porque EU FAÇO QUESTÃO de que isso continue assim. E perguntam vocês porquê? Porque independente das brigas ou discórdias que nós adultos tenhamos tido, as crianças não têm culpa de nada e se nasceram é porque nós quisemos, ok?

Por isso meus amores, eu não sou coitadinha nenhuma nem heroína por ser mãe solteira, nem vocês mães solteiras o são e não me levem a mal, pois acredito eu que mais do que nos dizerem “Uau, és mesmo guerreira!” ou “Fogo, merecias ter um companheiro para te ajudar!” e etc, etc, etc, há algo que ultrapassa qualquer coisa e para mim é bem mais importante. Não há melhor do que ouvir “Realmente é MÃE!”. Isto sim, isto vale a pena ouvir e enche-me o ego e deveria ser assim com todas.

Temos uma luta diária? Temos e vamos continuar a ter. É difícil? Demais e vai continuar a ser. Mas não merecemos rótulos, críticas ou mais desafios. Nós merecemos respeito e carinho. Admiração? Merecem os nossos filhos.

E tu que me apontas o dedo? Vais continuar a ser uma tia separada, uma amiga solteira, uma prima desempregada, uma avó submissa?

The author: marta

" (...) tem aquele gosto doce de menina romântica e aquele gosto ácido de mulher moderna."

1 Comment

Leave a Reply