Desabafos

SINTO-ME… MAS NÃO ME SINTO!

Vamos lá filosofar um pouco. Vamos dar as mãos e sentir as energias que nos percorrem o corpo… Pára tudo! Já decifrei.

Cá vai então!

Meus amigos e minhas amigas, isto é tudo muito bonito, floreado e colorido, até nos deitarmos na cama à noite e nos pormos a olhar para o tecto a decifrar o que nos vai na alma. Ontem foi um desses casos, que por um lado me deixou bastante feliz, mas por outro sinto-me um fóssil com curvas humanas! Damn…

Cheguei à conclusão que vivo num limite estranho entre “sinto-me velha demais para… e nova demais para…” e isto mexe com o meu psicológico, já que quero ter o síndrome Peter Pan para sempre e continuar a ouvir: “A sério que já tens duas filhas?”, ou então, “Eu dava-te 30 porque sei que tens duas filhas mas pareces uma menina de 26/27!”. Pois é… Portanto, fiz mentalmente uma pequena lista de desafios que não faria pelos motivos acima e passo a enumerar:

Sinto-me velha demais para… (melhor começar por aqui, pois gosto sempre de começar pelas notícias menos boas):

1- Fazer bungee jumping (o meu coração já não tolera certos tipos de emoções e o que resta dele é para me apaixonar. Super parecido né? Bungee e apaixonar… Deus!);

2- Acampar (nunca acampei e já não vou fazê-lo, pois as minhas necessidades de mulher adulta (quase sénior), não me permitem não ter o conforto de uma cama e de uma casa de banho);

3- Sair até às cinco da manhã (percebi nos últimos tempos que o meu corpo só aguenta até às quatro e pouco da manhã e mesmo assim, em grande esforço, o qual me mata nos dias seguintes, já que uma saída à noite para mim hoje em dia, deixa me ligada às “máquinas” durante quase duas semanas).

Sinto-me nova demais para... (isto é mais difícil, mas consegui!):

1- Aceitar que o meu corpo já tem 32 anos (quase 33, pois de forma alguma o meu físico bate com  a minha idade mental… ahahahah agora já imagino os meus haters ou ex’s a dizer “ya, ya!”);

2- Parar de estudar (preciso urgentemente voltar à faculdade e voltar a pôr o meu cérebro a “mexer”. Não posso deixar que ele se habitue a estas andanças dos “30 sem parar”);

3- Me chamarem de Tia (caramba pah… nem tenho comentários suficientes para isto e aviso já as amigas da minha filha que me lêem: podem parar por aí, ok?).

 

Pois é… Só listei três de cada, porque não quis pensar mais e assustar-me. Mas quem sabe, em mais uma noite de filosofias, não escrevo um “Sinto-me… Mas não me sinto II”? Wish me luck…

The author: marta

" (...) tem aquele gosto doce de menina romântica e aquele gosto ácido de mulher moderna."

1 Comment

  • Aiiiii como me identifico com tudo isso. Alias com o blog na integra. Good job girls!! Ah! e obrigado por me fazerem sentir que não sou a unica 😉

Leave a Reply