Desabafos

QUERES NAMORAR COMIGO?

Pessoal, dividam-se em categorias: os abaixo dos 20, os entre os 20 e os 30, os trintões, e os restantes (ahahahah). Agora pensem comigo como se realiza o processo de início de namoro entre vocês e como era antigamente quando eram mais jovens (pois continuam lindos e jovens).

Então… Falando pelo grupo dos “30” (vai equipaaaaaaa!): antigamente quando um rapaz estava apaixonado por nós, antes de convidar para alguma coisa, mandava um bilhete ou perguntava na cara se queríamos namorar com ele, certo? E apostando no melhor, a resposta sendo positiva, começávamos a namorar e depois sim, saíamos, passeávamos e lá vinha o primeiro beijo.

Hoje em dia… Não nos apaixonamos, ou melhor, não antes de passarmos por vários e desafiantes testes. Primeiro: chamamos a atenção pelo físico. Depois disto (se conseguirmos) temos de alguma forma de chamar a atenção pelas redes sociais (cada um com o seu plano e não vou desvendar os meus, ok?). A seguir, tentamos que metam conversa connosco. Se conseguirmos, vitóriaaaaaa! A fingir que já conseguimos… Passamos para uma semana, no mínimo, de mensagens escritas. Na segunda semana, um telefonema, e se gostarmos da voz um do outro e das últimas fotos publicadas, marcamos um encontro (eu não gosto muito de jantar ou almoçar logo assim “de caras”, porque posso cometer erros terríveis à mesa). Chegamos à fase do encontro: arranjamos conversa aleatória até que, quase de certeza, vamos acabar a conversar do nosso passado amoroso e a questionar sobre o passado do outro. Daqui já se sabe: ou nunca mais nos falamos ou então progredimos nisto dos encontros (normalmente com alguns dias de descanso) até que, TCHARAAAAANNNN, começamos a ser amigos coloridos.

E perguntam vocês? E quando são namorados? Não somos meus queridos, e sabem porquê? Porque já passou tanto tempo, que já estamos cansados de tantos jogos e malabarismos que cada um foi à sua vida.

E começa tudo outra vez… The Circle of Life!!!

(Para quem pensar diferente e quiser uma relação a sério, por favor, entrar em contato)

 

The author: marta

" (...) tem aquele gosto doce de menina romântica e aquele gosto ácido de mulher moderna."

9 Comments

  • Bom dia Marta bom dia Seni!! ó pah o texto está top! Vou fazer 50 este mês e no meu tempo de jovem nao havia tlm nem redes sociais, isto de queres namorar comigo na minha altura para mim era quase como agora, ia- se a discoteca conhecia- se uma pessoa durante essa semana mandava-se uns recados por amigos e esperava-se o proximo sabado á noite para o reencontro, passava um mês assim ficavamos amigos, sai-mos uns meses e passavamos a amigos coloridos apaixonados ou nao… ( á sempre um mais apaixonado do que outro) amizade colorida acaba cada um vai para seu lado e da-mos por nós a sofrer e a pensar… Mas afinal nem namorava mos…… Bem diferente da minha irmã que é mais velha do que eu 3 anos e o meu cunhado foi ter com o meu pai pedir se podia namorar com ela … Por isso de achar que nao quero abedicar da minha independencia! Chego aos meus 50 encalhada e pior é que nao acredito no amor!!

  • O “queres namorar comigo” provoca-me sentimento nostálgico. Saudade de um tempo em que a paixão surgia do nada e despertava o que nosso coração nos ditava, era tudo tão inocente e verdadeiro! Não havia lugares para redes sociais, para troca de mensagens, para telefonemas. Eu, escrevia tudo o que me ia na alma, tenho centenas de cartas trocadas que guardo num baú, algures no sótão, algumas delas praticamente indecifraveis, o tempo não perdoa, a tinta permanente não é eterna e, caprichosamente, deixa-me um papel de cor caramelo, sem ideias, sem historia, fazendo-nos reviver o passado que não volta mais.

    • Saudades das cartas também… Do aperto no peito enquanto não a recebíamos e não sabíamos quando iríamos receber). Saudades das flores, das velas, do abrir a porta do carro… Oh Deus… beijinhos

  • Boa tarde Martinha, parece-me então que infelizmente sou um jovem à antiga. Porque sempre fiz questão de conhecer primeiro antes de namorar, através de saídas, jantares, idas ao cinema. O beijo surgia depois de algum tempo com o crescer da cumplicidade e não 2 ou 3 dias depois. Mais tarde conhecer os pais, causar boa impressão e aí sim perguntar se a pessoa queria namorar. Nunca tive grande paciência para andar às mensagens antes sem ser para combinar as coisas, só depois, não sei porquê, talvez porque depois a vontade do contacto seja maior e com mais certeza já sinto essa necessidade de saber se a pessoa está bem quando não estamos perto, mandar um bom dia, como estás?, por exemplo.
    Acho que faz falta um pouco mais de paciência se alguém realmente nos interessa, respeito e cabeças no lugar em vez do “‘bora ver se isto dá, se não der, também nunca tivemos nada”.
    E desculpem se o que escrevi é alguma asneira mas é como vejo as coisas.
    E quem me dera a mim encontrar alguém como tu.
    Beijinhos.

    • marcos, o eterno romântico como nós gostamos!!! Paciência e vontade, that’s the question 🙂 beijinhos ( e não querias alguém como eu, tenho um feitio de m**** haahahah)

  • Olá meninas!
    Concordo plenamente com todo o texto acima, perdeu-se a mágica do passado, o encanto e talvez por isso também as relações durem menos. Porque tudo acontece muito rápido e cada vez e mais fácil o que faz com que não se dê valor. Eu tenho 36 anos e estou solteira a 4 anos e posso dizer que grande percentagem é pelo que foi escrito acima, porque considero me uma mulher moderna, mas no que toca a relacionamentos sou um pouco conservadora.
    Beijinhos

  • O texto está demais. Saudades de quando dedicavam uma música. O meu começou mais ou menos assim é já lá vão 17 anos. É dose.
    Mas não desacreditem ainda existem príncipes encantados ou não????
    Beijos meninas.

Leave a Reply